Os nossos testemunhos

Aqui encontrará testemunhos das nossas crianças, jovens e famílias que passaram pelos nossos programas em Portugal ou num dos 136 países onde trabalhamos.
 

Uma carta de Natal muito especial

"...não tinha uma família que me levaria a passear, jantar fora, às compras…sabia que não teria uma família a quem desejar “Feliz Natal”.

 

Teresa, 14 anos

Aldeia SOS da Guarda

A história da família do Marco

"...Muito lentamente, foram surgindo resultados positivos e isso era visível nos momentos em que nos deparávamos com pai e filho a partilharem refeições e a dialogarem..."

 

 

Programa de Fortalecimento Familiar da Guarda

Bianca, uma história de superação

 

"A equipa do PFF fez sessões na minha casa e em Rio Maior. Mas, infelizmente, sem sucesso na mudança de comportamento dos meus pais. Eles não cuidavam de mim, quer em termos de higiene quer em termos de alimentação."

 

Bianca

Vasco, o empreendedor

 

“Acredito que se não fosse a Associação não seria o que sou hoje. Percebi que tive uma segunda oportunidade de vida ao entrar na Aldeia SOS. Tive acesso a uma boa educação, cuidados de saúde e tive aquilo que considero o mais importante: referências.”

 

Vasco Sales

Crescer numa Aldeia SOS

 

Marcelino Mota conta-nos a história da sua vida. Ex-residente da Aldeia SOS de Bicesse dá o seu testemunho. Hoje tem uma vida estável, gosta de viajar e do seu trabalho na área da jardinagem. Continua a estar ligado à Aldeia SOS, quer pela organização de encontros entre os ex-residentes ou como voluntário.

Amor e um lar para cada criança

 

O Terras de Gaia foi até à Aldeia de Crianças SOS de Gulpilhares e conheceu a realidade da instituição. Caminhou pela aldeia com uma ex-residente, conversou com uma mãe social e percebeu que os laços que se criam são tão fortes como em qualquer outra relação familiar.

De Bicesse para a Dinamarca

 

“Estou muito grata por não termos sido separados e enviados para lugares diferentes, pois os meus irmãos são uma parte importante da minha história. Ainda hoje temos um laço muito forte e falamos com muita frequência.”

 

Paula 

Crescer na Aldeia SOS de Bicesse

 

"A minha relação com a Aldeia de Crianças SOS de Bicesse iniciou-se há precisamente 50 anos. Tinha 6 anos (quase 7) quando a minha mãe faleceu. Eramos um grupo de sete irmãos e era impossível ao meu pai trabalhar e olhar por todos nós. Fomos colocados numa instituição – rapazes para um lado, meninas para outro, como era normal nos colégios na época." 

 

Benvinda Neves

O primeiro acampamento de férias SOS no Meco

 

"A minha relação com as Aldeias SOS iniciou-se mais activamente a partir de 1976, ano em que terminei o Secundário e decorreu o primeiro Acampamento de férias SOS no Meco. Conheci por dentro, as Aldeias SOS pela ligação familiar a uma das sócias fundadoras Dra. Palmira Cabrita Matias, minha tia, pelo envolvimento dos meus pais, mas também através da amizade com as crianças e jovens residentes de então."

 

Manuel Matias

 

"Devolveram-me muito do carinho e da atenção que lhes tenho dedicado".

 

Fiz estágio de preparação nas Aldeias SOS da Guarda e de Gulpilhares, e só viria a conhecer a Aldeia SOS de Bicesse uns meses mais tarde, mas já a tinha no coração desde esse primeiro momento em que ouvira falar das suas Mães SOS, das crianças, Casas e dos seus anseios.

 

Manuel Salvador