O que fazemos?

 

Proteção

Aldeias SOS e Autonomia

As Aldeias de Crianças SOS desenvolvem programas de proteção direcionados para crianças e jovens que por distintos motivos ficaram privados de cuidado parental, proporcionando uma nova oportunidade de crescerem felizes.

Quem somos


  A Mãe SOS

Cada criança é acompanhada por uma Mãe SOS. Com ela, a criança partilha alegrias, experiências, preocupações, angústias e sonhos. A Mãe SOS dedica a sua vida a crianças que não são suas, mas a quem deseja o melhor que a vida tem para dar. Dá colo, educa, mima e aceita as crianças como elas são, dando-lhes a segurança, a estabilidade e o carinho que tanto precisam.

As Mães SOS são o núcleo fundamental das nossas famílias e contam com a ajuda de educadores, psicólogos, assistentes sociais e "Tios", que ajudam ao desenvolvimento pleno de cada criança.



 

   Os Irmãos

Nas Aldeias SOS não se separam irmãos biológicos. Nas nossas casas, temos fratrias de dois, três ou mais irmãos, que vêm juntos de uma situação familiar difícil e aqui encontram uma nova família. O vínculo que existe entre os irmãos é único e natural.

Eles são os nossos cúmplices, o nosso apoio, quem nos conhece realmente, a nossa segurança. Com eles, jamais nos sentimos sozinhos no mundo.
 

 

    A Casa

A família SOS é composta por uma Mãe SOS que cuida de um grupo de crianças com idades diferentes, que podem crescer juntas numa casa, até à maioridade. Nestas casas tudo é grande: a mesa, o sofá e o carinho que se sente diáriamante.

Estas são famílias iguais a quaisquer outras: vão ao supermercado, festejam os aniversários, passeiam e falam das suas vivências, em conjunto.


 

   Aldeia SOS

Nas Aldeias SOS existem muitas casas e vive-se em comunidade, sempre em contacto com o exterior.

As férias, tempos livres, festividades anuais são passados em conjunto pelo que, quer as Mães SOS, quer as crianças, quer a equipa técnica, convivem diáriamente, partilhando os mesmos valores.

A Autonomia de Jovens – E depois das Aldeias SOS?

Uma família é para a vida... por isso continuamos a apoiar os jovens, mesmo quando atingem a maioridade, acompanhando-os para que aprendam a ser capazes de viver autonomamente.

 

A escolha do curso e da profissão que se quer seguir, a organização de uma casa, a gestão do salário, são processos difíceis para qualquer jovem. Para além da família que continua presente na vida do jovem, existem estruturas e processos de ajuda ao desenvolvimento das competências de autonomia, à preparação para a vida independente, à finalização do acolhimento e ao seguimento após a saída.

Para os jovens que revelam necessidades de um contexto diferente da Casa Familiar para experimentarem viver por si próprios, foram criadas respostas específicas dentro e fora da Aldeia SOS: Casas de Transição e Apartamentos de Jovens. Estes são espaços que proporcionam condições de progressiva autodeterminação e responsabilização, onde possam continuar a desenvolver competências sociais e pessoais  que lhes permitam a transição adequada a uma vida autónoma de forma plena, segura e integradora. Em termos de alternativas fora da zona geográfica das Aldeias SOS, há também que considerar a deslocalização temporária de jovens em apartamentos alugados, residências universitárias ou respostas análogas, para fins académicos ou profissionais.

 

 

As crianças podem mudar o mundo!

 

 

Prevenção

Programa de Fortalecimento Familiar

As Aldeias de Crianças SOS desenvolvem programas de prevenção direcionados para crianças e jovens que, ainda que se mantenham com as suas famílias de origem, estão em risco de privação de cuidados parentais que asseguram o seu bem-estar.

Quem somos

Este é um programa de apoio especializado para famílias, no qual, através de uma intervenção integrada e colaborativa, são promovidas competências de cuidado parental e potenciadas dinâmicas de proteção que permitam o fortalecimento das famílias de origem na missão de assegurar o bem estar das suas crianças e jovens.

Em Portugal, o Programa de Fortalecimento Familiar traduz-se no desenvolvimento de Centros de Apoio Familiar e Aconselhamento Parental (CAFAP), situados em Oeiras, Guarda e Rio Maior, e licenciados pelos respetivos Centros Distritais da Segurança Social.

Iniciado em 2012, o Programa de Fortalecimento Familiar foi crescendo e alargando as áreas de intervenção apoiando atualmente cerca de 300 crianças, em aproximadamente 120 famílias.

 

Modalidades de Intervenção

Preservação Familiar: Intervenção integrada com o fim último de preservar a criança no seu meio natural de vida, potenciando competências de cuidado e prevenindo situações de perigo que possam conduzir à necessidade de retirada da família de origem.

Reunificação Familiar: Intervenção integrada com o objetivo de acompanhar o regresso da criança ou jovem ao seu meio familiar de origem, promovendo competências e dinâmicas de cuidado que garantam uma reunificação segura.

Ponto de Encontro Familiar: constitui-se como um espaço neutro e seguro que visa a manter ou restabelecer ligações familiares nos casos de interrupção ou perturbação grave da convivência familiar, designadamente em situação de conflito parental e de separação conjugal.

 

O que fazemos

Após uma avaliação ecológica do risco, agimos mediante a implementação de Planos Integrados de Apoio à Família adequados à situação particular de cada família, valorizando uma intervenção sistémica, intensiva e complementar, que inclui:

· Acompanhamento psicossocial

· Capacitação parental individualizada, em domicílio ou espaço neutro;

· Educação parental grupal;

· Mediação familiar;

Paralelamente, agimos na e com a comunidade através da dinamização de fóruns comunitários, oficinas de formação, e ações de sensibilização e promoção dos Direitos da Criança.

 

Estes são os nossos pilares: