dia internacional da mulher
Internacional – 28. fevereiro 2018

Dia Internacional da Mulher

As declarações de 5 mulheres inspiradoras.

Para comemorar o Dia Internacional da Mulher, no dia 8 de março de 2018, partilhamos as histórias de Olive, Gitta, Jumana, Kistie e Nancy, cinco mulheres inspiradoras das Aldeias da Criança SOS, de vários pontos do mundo!

Olive Lumonya, Diretora Nacional - Aldeias de Crianças SOS Uganda 
“Celebramos globalmente as conquistas sociais, económicas, culturais e políticas das mulheres e eu acredito firmemente que foram obtidas medidas positivas em todo o mundo sobre questões de igualdade de género. Nas Aldeias de Crianças SOS no Uganda, as mulheres tiveram um impacto significativo e positivo, com centenas de Mães SOS a cuidar de meninos e meninas desfavorecidos!

Eu mesma sou uma beneficiária orgulhosa da igualdade de género. Fui a representante das jovens mulheres do Uganda na Conferência Mundial das Mulheres em Pequim, em 1995, e fui Presidente da região africana do Programa da Juventude da Commonwealth. Participei em vários fóruns para o desenvolvimento das mulheres e apliquei essa  experiência no impacto das Aldeias de Crianças SOS no Uganda. Estamos a desenvolver vários programas que abordam o tema da igualdade de género.  

A magia que irá desencadear a mudança positiva em todo o mundo, está consagrada no empoderamento das mulheres nos seus vários papéis, incluindo liderança, política, negócios, meio ambiente, serviços corporativos e sociais. Eu acredito que o mundo será um lugar melhor. 
Nas Aldeias de Criança SOS do Uganda, impactamos a vida das crianças através das mulheres, tendo apoiando mais de 60 mil crianças nos nossos 25 anos de existência.”


Dr. Gitta Trauernicht, Vice-Presidente - Aldeias de Crianças SOS Internacional 
 “As crianças começam a absorver os papéis de género na primeira infância, através de sua educação e carregam isso com eles ao longo das suas vidas. Como uma organização global de desenvolvimento social para crianças, é nossa responsabilidade particular lutar contra todas as formas de discriminação relacionadas ao género, de forma a que todas as raparigas e rapazes possam viver de forma independente e socialmente conscientes, quando forem adultos. 

A ação sobre a desigualdade de género abre oportunidades - para as crianças na escola, para os jovens que iniciam a sua vida profissional e para os pais, que procuram formas de apoiar e capacitar as suas famílias. Isso, por sua vez, fortalece a comunidade. Enquanto vice-presidente das Aldeias de Crianças SOS International, tenho orgulho em defender o tema do género em toda a federação. Conheci muitas mulheres inspiradoras e adoro ouvi-las. Desde as raparigas que desafiam as normas de género nas suas vidas diárias, as mulheres jovens que planeam carreiras em áreas não tradicionais, às muitas Mães SOS inspiradoras que fazem a diferença todos os dias: procuro garantir que todas estas vozes sejam ouvidas.”


Jumana Abu-Hannoud, Diretora Geral - Escritório da Área do Golfo,  Dubai, Emirados Árabes Unidos, Aldeias de Crianças SOS
“A igualdade de género é necessária para a sustentabilidade social e económica. As mulheres e as mães são modelos fortes para as crianças, elas inspiram as raparigas a serem seguras e independentes e a educarem, no futuro, crianças que respeitem o papel das mulheres, crescendo para ajudar os outros. Famílias e comunidades tornam-se mais fortes economicamente e são equipadas com melhores competências de liderança e tomada de decisão. As crianças que são criadas com igualdade de oportunidades crescem e tornam-se membros mais ativos e construtivos da comunidade envolvente.

O meu papel nas Aldeias de Crianças SOS contribui para a igualdade de género através da defesa dos direitos das crianças e do nosso compromisso com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, incluindo o acesso igual a oportunidades e o fortalecimento das mães e jovens SOS.”


Kistie Singh, Diretora de uma Aldeia SOS - Aldeias de Crianças SOS, Colúmbia Britânica, Canadá
“A oportunidade de modelar a igualdade nas Aldeias de Crianças SOS é de grande importância. É importante para os nossos filhos, jovens, famílias e equipas experimentarem oportunidades iguais dentro de mesma comunidade. Nem todas as nossas comunidades têm um equilíbrio de igualdade entre homens e mulheres. Os nossos filhos e jovens veem isso no seu quotidiano, na vida escolar e nas suas vidas pessoais. É crucial que demonstremos aos nossos jovens que homens e mulheres são capazes de alcançar e ter sucesso na vida, independentemente de seu género.
Como Diretora de Aldeia, sinto-me profundamente ligada às crianças e às famílias com quem trabalho, incluindo a nossa pequena equipa, aqui na Colúmbia Britânica. Acima de tudo, a minha esperança é que as crianças e os jovens vejam que amarmos e cuidarmos uns dos outros é uma forma de evoluirmos.”


Nancy Gicheru, Mãe SOS - Aldeias SOS do Buru Buru, Quénia
“Cresci numa época em que as meninas não tinham as mesmas oportunidades que os meninos, por exemplo na educação, sou muito sensível e consciente das questões de igualdade de género. A minha mãe e meu irmão sentiram que eu tinha muito para contribuir na sociedade e lutei muito para conseguir uma educação pouco comum nesse tempo. Realmente acredito que é meu dever, como Mãe SOS, promover valores de respeito por todos os géneros, junto dos meus filhos. Primeiro, garanto que cada criança seja criada com amor, segurança, confiança e respeito. Ao respeitar e valorizar a individualidade, a voz de cada criança e quem ela é verdadeiramente, acredito que estou a criar confiança e independência. Num sistema cultural que destaca muito mais os rapazes, acho que ver a Mãe SOS como chefe da família e um modelo a seguir, oferece uma experiência enriquecedora para se valorizar e respeitar a mulher e o seu potencial. Para as minhas crianças pequenas, procuro demonstrar a igualdade através das tarefas simples na casa. Na nossa sociedade, parece que as tarefas estão divididas em linhas de género e as pessoas acham que algumas tarefas são feitas apenas por mulheres, como tarefas de cozinha.

Em minha casa, eu digo aos meus filhos que somos uma família e todos ajudamos, independentemente do género. É importante que eles transportem essa diversidade de pensamento para os seus locais de trabalho e outros espaços comunitários para promoção da igualdade de género. Exijo que todas as crianças se respeitem e valorizo os seus contributos, nas conversas que temos em família. Penso que o sistema SOS, como um todo, especialmente na África, enfatiza o papel importante das mulheres nas sociedades, na medida em que a maioria das crianças fica mais ligada às Mães durante a vida. Ter mulheres como funcionárias administrativas, como educadoras, também ajuda ao empoderamento das mulheres.

Estou ansiosa para mostrar às crianças outros exemplos positivos de mulheres líderes, fora da aldeia. A igualdade de género cria uma sociedade melhor, em que todos se sentem valorizados, reduzindo assim os casos de injustiças social. Em vez disso, há paz e bem-estar geral. As mulheres, assim como os homens, agregam valor à sociedade e o fracasso em capacitá-las significa menos do que o capital social e político ideal para a sociedade. Finalmente, de acordo com o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável Internacional nº 5, acredito que a igualdade de género é importante por causa das principais contribuições que as mulheres fizeram. Digamos que eu, tal como muitas outras mães SOS na África, não fomos à escola nem recebemos formação porque foi desprezada por uma cultura onde de deve casar em vez de ir à escola. Concordo com o ditado comum de que: "Se capacitamos uma mulher, habilitamos uma Nação".

/* pageName= dia internacional da mulher pagePrefix= breadCrumb=Notícias / ATUALIDADES / Noticias por Cá / dia internacional da mulher mainDomain=aldeias-sos.org langIdentifier=PT,pt */