O número de crianças sem cuidados parentais está a crescer. Estima-se que 151 milhões de crianças, perderam os cuidados parentais do pai, mãe ou ambos. Milhões de crianças estão em risco de perder os cuidados parentais, devido à pobreza, doença de um dos parentes, violência entre outros fatores.

Segundo os dados 2015, da UNICEF, as Aldeias de Crianças SOS calculam que pelo menos 220 milhões de crianças ou 10% da população infantil em todo o mundo, precisa de apoio na afirmação dos seus direitos entre outras necessidades enquanto crianças.

 


Acolhimento e Fortalecimento Familiar

571
Aldeias de Crianças SOS oferecem
um lar a 86 200 crianças e jovens.
542
Programas de Fortalecimento Familiar
apoiam 467 400 pessoas.
553 600
crianças, jovens e adultos apoiados
em todo o mundo.

 

Como pode ajudar...

Faça parte da maior família do mundo e contribua para que o mundo das nossas crianças
seja melhor!​


Torne-se Amigo SOS Faça um donativo

 No Mundo 

Educação

238
Jardins de Infância SOS cuidam 24 500 crianças.
180
Escolas SOS Hermann Gmeiner
ensinam 100 700 estudantes.
63
Centros de Formação Profissional SOS formam 17 200 estudantes.
242 000
crianças, jovens e adultos apoiados em todo o mundo.

Saúde

 

68
Centros Médicos SOS.
943 700
Serviços prestados.

 

Emergência

24
Programas de Emergência SOS
726 500
Serviços prestados em todo o mundo.

Perguntas Frequentes

As crianças chegam às Aldeias de Crianças SOS por decisão dos Tribunais de Família e Menores, que são quem tem as competências nesta matéria.

Principalmente, grupos de irmãos (a não-separação dos irmãos biológicos é um dos nossos princípios). Não existe um limite de idade, acolhemos crianças na idade materna e jovens de dezoito anos, já que uma das peculiaridades das Aldeias SOS é continuar a trabalhar com os jovens para além da idade da maioria. São crianças que devido a várias circunstâncias, não podiam continuar a viver com os seus pais.

As Casas SOS são espaçosas e podem acomodar grupos de irmãos. O número ideal é de 6 crianças por casa, mas se o grupo for maior não pode deixar de ser acolhido.
As famílias das Aldeias de Crianças SOS de países ocidentais tendem a ser mais pequenas do que as de países em desenvolvimento. Na Europa vivem, em média, seis filhos numa família SOS, enquanto as famílias dos países em desenvolvimento são constítuidas entre sete a dez crianças.

As Aldeias de Crianças SOS não têm a capacidade de selecionar as crianças que crescem sob os nossos cuidados. As Aldeias de Crianças SOS apenas têm a guarda e custódia das crianças e jovens que acolhem. A tutela é da responsabilidade da Segurança Social.

O trabalho que as Aldeias de Crianças SOS realizam em todo o mundo, têm em comum o conceito de educação global de assistência a longo prazo orientada pela convivência familiar e futura independência, caracterizada pela tradição cultural de seu país. Os "quatro princípios pedagógicos" (mãe, irmãos, casa e aldeia) são a base e a estrutura do conceito educativo do trabalho das Aldeias de Crianças SOS.

As crianças podem viver na Aldeia SOS até que possam cuidar de si mesmas e atinjam a sua independência. Para prepará-las para a sua autonomia, existem outros projetos como os Apartamentos de Autonomia e Quinta Pedagógica.

As medidas de proteção acabam com a idade adulta, mas desde o seu nascimento, as Aldeias de Crianças SOS têm acompanhado o desenvolvimento das crianças até à sua emancipação total que, quase nunca ocorre aos 18 anos.

Um Amigo SOS é uma pessoa especial que, com dedicação e generosidade, apoia as crianças das Aldeias SOS. O Amigo SOS sente-se co-responsável pelo presente e futuro destas crianças. A nossa missão apenas se torna possível com a amizade que nos concede, para que estas crianças tenham uma vida normal, para se prepararem para o futuro.

/* pageName= No Mundo pagePrefix= breadCrumb=Quem somos / ONDE ESTAMOS / No Mundo mainDomain=aldeias-sos.org langIdentifier=PT,pt */