Crianças
em situação
de risco

Todas as crianças têm o direito a ver garantido o seu bem-estar integral. Sempre que tal não acontece, isto é, sempre que existem fatores que aumentam a probabilidade das crianças verem o seu bem-estar pleno comprometido, falamos de Crianças e Jovens em situação de risco.

A manutenção ou a agudização dos fatores de risco poderão, na ausência de fatores de proteção, conduzir a situações de perigo. O Perigo é então considerado na ocorrência de situações que têm efetivo impacto na segurança e bem-estar da criança ou jovem.

É, nestas situações, necessária a ativação de uma atuação que proteja as crianças quer do Risco, através da capacitação e fortalecimento das famílias biológicas, quer do Perigo, sendo necessária a retirada da criança do contexto causador de maltrato ou negligência.

Apesar dos esforços realizados pelas entidades internacionais, estados e ONG's – como as Aldeias SOS – os números de crianças que estão em risco de perder o cuidado parental ou efetivamente privadas dos cuidados das suas famílias biológicas, por razões multifatoriais e complexas, são alarmantes.

Existem cerca de 7 biliões de pessoas em todo o mundo, das quais 2 biliões são crianças (0 aos 18 anos). Estima-se que, ao nível internacional, 220 milhões de crianças, ou seja, uma em cada dez, viva sem os cuidados de uma Mãe ou de um Pai.

Em Portugal, em 2016, viveram sem o cuidado da família biológica 10 688 crianças, isto é, estiveram em situação de Perigo.

Para além destes casos, milhões de outras crianças em todo o mundo estão em Risco de perder os cuidados parentais de origem, devido a fatores de risco como a pobreza (49% dos casos), problemas de saúde de um dos progenitores, violência e outros.

Em Portugal, em 2016, estiveram assinaladas como estando em risco 72 177 crianças e jovens ao longo de todo o ano nas Comissões de Proteção de Crianças e Jovens.

As Aldeias SOS desenvolvem programas que atuam no Risco – Programa de Fortalecimento Familiar – e no Perigo, através do acolhimento residencial com modelo familiar – Aldeias SOS.
 
As crianças podem mudar o mundo!

Como ajudar...

NENHUMA CRIANÇA DEVE CRESCER SOZINHA