_____________

Férias são sinónimo de interromper e esquecer algumas rotinas e horários, é ser e estar sem pressa e sem pressão, é fazer uma pausa na vida escolar, é premiar o esforço, dedicação e sarar os desafios que não foram tão bem sucedidos. É aproveitar o sol, é olhar para os desenhos das nuvens lá no céu e fantasiar imagens incríveis quando libertos de conceitos e preconceitos, é o mar e o campo, é a natureza no seu todo… é a família e os amigos, de modo a recuperar as energias que tanto precisamos!

Jovens da Aldeia SOS da Guarda a desfrutar de uma tarde na praia.

Aproximam-se as “nossas” férias! Crianças e jovens aguardam com expectativa por estes dias... Meco, Guarda, Porto, Lisboa, nas suas terras ou simplesmente por aí, são sempre momentos de partilha.

Enquanto cuidadores verificamos a importância destes instantes, entre os adultos e as crianças e jovens, seja no fortalecimento de laços, emancipação de competências de lideranças, para além da interação que as atividades, mais ou menos espontâneas, proporcionam e que são fundamentais para o desenvolvimento psíquico, emocional, físico e social. São estas oportunidades enriquecedoras, de experiencias únicas que promovem um bem-estar holístico.

São nestes rituais e costumes que há um maior espaço para novas descobertas de um novo “eu” para um outro “ele” e um diferente “nós”, aparentemente mais distantes mas que fazem parte do crescimento, com riscos, com responsabilidades e mais autonomia! 

Nas férias não há lugar para pausas no amor, nos afetos, na compreensão e na empatia. Pelo contrário! Os cuidadores (formais ou não formais) têm a responsabilidade de proporcionar condições sustentáveis, favorecendo um ambiente positivo, protetor, tranquilo, estável e seguro. Só assim, podemos potenciar um ambiente social, de diversão e bem-estar à medida de cada um! Assim, devem ser construídas as pontes entre férias e os outros dias do ano!