O que fazemos – 31. janeiro 2018

Como foi o ano 2017?

Em 2017, mantivemos como principais áreas de atuação o acolhimento nas três Aldeias SOS e o apoio a famílias biológicas, através do Fortalecimento Familiar. Aqui apresentamos alguns dados de 2017, referentes ao acolhimento nas Aldeias SOS.

Em 2017, acolhemos nas três Aldeias SOS 120 crianças e jovens em Bicesse, Guarda e Gulpilhares, contando com a entrada de 20 novas crianças só no passado ano. No gráfico, pode observar as idades das crianças e jovens que estão connosco. A média de idades é de 13 anos e a maioria (60%) destas crianças e jovens são do sexo masculino.



Do total de crianças e jovens, 56% chegaram foram acolhidas por motivos de negligência e 40% por maus tratos (inclui físicos e psicológicos) e muitas das crianças juntam mais do que um motivo. Sobre o local anterior ao acolhimento, 48% vieram das suas famílias biológicas e 37% das crianças e jovens vieram de centros de acolhimento temporário.
Sobre os projetos de vida definidos para as nossas crianças e jovens em parceria com Segurança Social e o tribunal, tendo em conta as características e passado de cada situação, 53% dos casos serão acompanhamos até à Autonomização (preparação para vida adulta). A adoção é o projeto de vida definido para 8% dos casos.