Albânia

O Clube dos Pais na Albânia

Incentivar os pais a ter um papel ativo na educação dos filhos.

O papel dos pais nas famílias e no desenvolvimento dos seus filhos é frequentemente subestimado e marcado por atitudes culturais e fatores socioeconómicos. Na Albânia, as Aldeias de Crianças SOS viram a necessidade de envolver os pais de forma ativa no fortalecimento das famílias e têm trabalhado com homens nos denominados Clubes de Pais.

“Todo o nosso trabalho visa, em última instância, o bem-estar das crianças. Não podemos fazer uma mudança significativa se apenas nos concentrar-mos nas crianças, também temos que provocar mudanças nos pais."  Conta-nos Julian Uka, assistente social SOS e coordenador do Programa de Fortalecimento Famíliar em Tirana.

As Aldeias de Crianças SOS na Albânia têm trabalhado com famílias em circunstâncias vulneráveis ​​desde 2004, dando-lhes o apoio necessário para que possam dar aos seus filhos o melhor cuidado e proteção possível.

Quando Julian começou a trabalhar com as famílias, em 2008, logo percebeu que os pais não assumiam um papel ativo na educação e no desenvolvimento dos filhos.

"Os pais estavam sub-representados nos workshops e nas sessões de aconselhamento que preparamos para as famílias. É por isso que criámos um programa especial para motivar os pais a assumir um papel mais ativo na vida dos seus filhos e famílias.

Apesar de, muitas vezes subestimados, os pais têm um impacto direto no bem-estar dos seus filhos, incluindo suas habilidades cognitivas, realizações educacionais, bem-estar psicológico e comportamento social. A relação entre pais e mães afeta diretamente o comportamento das crianças, que os veem como modelos”, explica Julian.

 

Nova perspectiva sobre o papel dos pais

O primeiro Clube dos Pais foi lançado em 2010. Inicialmente, algum trabalho de base teve de ser feito para superar preconceitos e estereótipos que os homens tinham sobre o papel dos pais nas famílias.

“Os homens normalmente são a figura dominante e assumem-se como o garante do sustento da família. Trabalhar  estes aspetos sociais pode ser percebido como uma fraqueza ”, explica Julian.

Através de um trabalho intensivo na divulgação e nas visitas aos pais nas suas casas junto ás suas famílias, a equipa SOS começou a construir um relacionamento que permitiu juntar informações sobre o tipo de apoio que necessitavam e como poderiam ser motivados para se envolverem mais ativamente.

Como muitos dos pais cujas famílias estão a participar no Programa de Fortalecimento Famíliar têm um nível baixo de educação e lutam para encontrar emprego, o apoio à empregabilidade foi um dos primeiros tópicos abordados no Clube dos Pais. Os participantes receberam formação sobre como preencher formulários e como se devem apresentar nas entrevistas de emprego.

"A resposta foi muito positiva. Os pais disseram que nunca tiveram este tipo de formação. Sentiam-se respeitados, estavam genuinamente satisfeitos e estavam ansiosos por mais.", diz Julian.

 


Quebrar o ciclo vicioso

"A pobreza e o desemprego leva a problemas nos relacionamentos familiares, depressão, abusos e vícios. É um círculo vicioso em que a maioria dos pais cresceu, mas estamos aqui para quebrar esse ciclo", diz Julian.

É por isso que o Programa de Fortalecimento Famíliar SOS oferece aconselhamento psicológico. Mas no início, os pais consideravam essas sessões uma fraqueza.

“Já estamos num estágio em que os pais não consideram o aconselhamento psicológico um tabu. Passou a ser um meio que ajuda a melhorar a vida das suas famílias”, diz Julian.

 

Resultados visíveis

Nos últimos anos, o Clube dos Pais teve um grande impacto nas famílias. Agora, os pais estão mais envolvidos nas vidas dos seus filhos e levam-nos para atividades como terapia da fala, educativas ou sessões psicológicas.

“Antes de participar no Programa de Fortalecimento Famíliar e no Clube dos Pais, eu achava que a educação infantil era responsabilidade das mães. Já compreendi que estava errado", diz um dos pais.

“Estou feliz agora sou um melhor pai para o meu filho. Isso é resultado do que aprendi através do Clube dos Pais ”, diz outro participante.

Além disso, o Clube dos Pais criou uma rede entre os participantes, que pode ser um sistema de apoio adicional para as famílias no futuro.

“Em duas ocasiões, os pais juntaram-se o oraganizaram-se para ajudar uma família com condições de vida muito difíceis. Arranjaram-lhe o telhado de uma casa antiga na qual morava um dos pais da família.  A partir desse momento, desenvolveram um forte sentimento de empatia e solidariedade e começaram a procurar soluções por conta própria”, diz Julian.

Mesmo quando os pais já não fazem parte do Programa de Fortalecimento Famíliar SOS, ainda se encontram e mantêm contato uns com os outros.

O Clube dos Pais começou com sete participantes. Desde então, mais de 60 pais participaram no Clube dos Pais em Tirana. Devido aos resultados positivos, as Aldeias de Crianças SOS na Âlbania estão a avaliar a possibilidade de abrir mais Clubes dos mais noutras áreas.

“Estamos a considerar colocar no terreno equipas móveis para chegar ás famílias que precisam de apoio nas áreas mais remotas de Tirana, para que não seja necessário terem de se deslocar até nós”, explica Julian.

Fotos: Bjorn-Owe Holmberg

 

 

Mais notícias

/* pageName= O Clube dos Pais na Albânia pagePrefix= breadCrumb=Notícias / ATUALIDADES / Notícias do Mundo / O Clube dos Pais na Albânia mainDomain=aldeias-sos.org langIdentifier=PT,pt */