Donativo Pontual

O seu donativo pode mudar a vida de muitas crianças...

para sempre!

Todas as crianças sonham com o seu futuro.

O modelo de acolhimento das Aldeias SOS, procura proporcionar todas as condições para que estas crianças que perderam os seus pais ou que devido a várias razões, não podem viver com a sua família biológica, tenham uma infância feliz, com a confiança necessária para alcançar o maior dos seus sonhos.

 
"Dou graças a Deus pela oportunidade que tive de poder viver com os meus irmãos nas Aldeias SOS, pois se assim não fosse, não consigo imaginar como seria hoje a minha vida. Cheguei à Aldeia SOS de Bicesse, pela mão de uma tia, onde vivi até aos 16 anos de idade, na Casa da Nossa Senhora Conceição da Vitória, com a minha Mãe SOS, Maria Ferreira."
Jorge Bernardo (ex-utente da Aldeia de Crianças SOS de Bicesse)
 

Perguntas Frequentes

As crianças chegam às Aldeias de Crianças SOS por decisão dos Tribunais de Família e Menores, que são quem tem as competências nesta matéria.

Principalmente, grupos de irmãos (a não-separação dos irmãos biológicos é um dos nossos princípios). Não existe um limite de idade, acolhemos crianças na idade materna e jovens de dezoito anos, já que uma das peculiaridades das Aldeias SOS é continuar a trabalhar com os jovens para além da idade da maioria. São crianças que devido a várias circunstâncias, não podiam continuar a viver com os seus pais.

As Casas SOS são espaçosas e podem acomodar grupos de irmãos. O número ideal é de 6 crianças por casa, mas se o grupo for maior não pode deixar de ser acolhido.
As famílias das Aldeias de Crianças SOS de países ocidentais tendem a ser mais pequenas do que as de países em desenvolvimento. Na Europa vivem, em média, seis filhos numa família SOS, enquanto as famílias dos países em desenvolvimento são constítuidas entre sete a dez crianças.

As Aldeias de Crianças SOS não têm a capacidade de selecionar as crianças que crescem sob os nossos cuidados. As Aldeias de Crianças SOS apenas têm a guarda e custódia das crianças e jovens que acolhem. A tutela é da responsabilidade da Segurança Social.

O trabalho que as Aldeias de Crianças SOS realizam em todo o mundo, têm em comum o conceito de educação global de assistência a longo prazo orientada pela convivência familiar e futura independência, caracterizada pela tradição cultural de seu país. Os "quatro princípios pedagógicos" (mãe, irmãos, casa e aldeia) são a base e a estrutura do conceito educativo do trabalho das Aldeias de Crianças SOS.

As crianças podem viver na Aldeia SOS até que possam cuidar de si mesmas e atinjam a sua independência. Para prepará-las para a sua autonomia, existem outros projetos como os Apartamentos de Autonomia e Quinta Pedagógica.

As medidas de proteção acabam com a idade adulta, mas desde o seu nascimento, as Aldeias de Crianças SOS têm acompanhado o desenvolvimento das crianças até à sua emancipação total que, quase nunca ocorre aos 18 anos.

Um Amigo SOS é uma pessoa especial que, com dedicação e generosidade, apoia as crianças das Aldeias SOS. O Amigo SOS sente-se co-responsável pelo presente e futuro destas crianças. A nossa missão apenas se torna possível com a amizade que nos concede, para que estas crianças tenham uma vida normal, para se prepararem para o futuro.

“Ajudar e amar são as expressões mais maduras e mais perfeitas da razão humana.”
Hermann Gmeiner, Fundador SOS Kinderdorf Internacional

 

/* pageName= Faça um Donativo pagePrefix= breadCrumb=Como ajudar? / DONATIVO AGORA / Faça um Donativo mainDomain=aldeias-sos.org langIdentifier=PT,pt */